Planeta Terra Versão 2.0

A felicidade é quando o que pensas, o que dizes e o que fazes estão em harmonia.

Mahatma Gandhi (1869 ~ 1948)

Pub

Doações

Saldo Acumulado: 0 EUR

Só é possível continuar a fazer este trabalho graças à sua generosidade.

Se considera que a informação aqui disponibilizada tem relevância para si e pretende fazer uma doação, por favor faça uma que esteja dentro das suas possibilidades financeiras.

Saiba como

Últimos Artigos

Globo
Portugal
Dinheiro
Ciência e Tecnologia
Conflitos Mundiais
Big Brother
Tirania
Fenómenos
Pub

Jovem queixa-se de agressões da PSP

ArtigoComentários (0)
Alexandre Martins acusa a PSP de o ter molestado por estar a filmar o que estava a testemunhar, e de posteriormente o terem agredido.

Alexandre Martins, um jovem 27 anos, disse esta segunda-feira à TVI que durante uma operação stop realizada na madrugada de sábado, no Porto, um agente da Polícia de Segurança Pública (PSP) o terá agredido.

De acordo com o engenheiro mecânico, o grupo, no qual se incluia foi abordado pelos agentes para realziarem um teste de alcoolémia. O «condutor», do grupo de amigos, acusou 0,8 gramas de álcool no sangue.

Alexandre explica que após o teste, «o colega foi levado e nem sabíamos se ele tinha álcool ou não, nem sabíamos o que tinha acontecido. Comecei a fazer algumas perguntas para saber o seu paradeiro».

O jovem terá sido agredido na sequência de filmagens que tentou fazer do que classificou como «espectáculo», berros e choro de familiares que tentavam saber do rapaz que tinha sido detido.

Alexandre explicou ainda: «Quando tentava filmar fui abordado de forma pouco sensata por um agente em especial».

O agente terá dito à alegada vítima para deixar de filmar, ao Alexandre Martins respondeu que estava em Portugal e podia filmar o que lhe apetecesse. Por seu lado, o agente terá respondido «que lhe estava a faltar ao respeito», relata o jovem.

Ainda de acordo com Alexandre, «o polícia começou a gritar quando um terceiro colega» lhe disse: «com estes gajos não vale a pena». A isso, Alexandre respondeu: «Estes gajos por usarem farda pensam que são os maiores».

A partir destas últimas palavras ,o jovem conta que os agentes terão tomado uma postura violenta: «Começaram a dar-me socos e mais socos».

Perante a versão de Alexandre, a PSP refere não ter qualquer conhecimento da situação por parte dos elementos no terreno e sublinha a obstrução por injúria e a obstrução da autoridade ao exercício das funções apontando ainda que Alexandre Martins terá ainda cuspido na cara de um agente.

O caso já seguiu para tribunal.

Reportar Erro

Caso tenha detectado algum tipo erro por favor descreva-o.