Planeta Terra Versão 2.0

A grandeza de uma nação e seu progresso moral pode ser julgado pela forma como os seus animais são tratados.

Mahatma Gandhi (1869 ~ 1948)

Pub

Doações

Saldo Acumulado: 0 EUR

Só é possível continuar a fazer este trabalho graças à sua generosidade.

Se considera que a informação aqui disponibilizada tem relevância para si e pretende fazer uma doação, por favor faça uma que esteja dentro das suas possibilidades financeiras.

Saiba como

Últimos Artigos

Globo
Portugal
Dinheiro
Ciência e Tecnologia
Conflitos Mundiais
Big Brother
Tirania
Fenómenos
Pub

Jornalista do News of the World encontrado morto em casa

ArtigoComentários (0)
Sean Hoare, o primeiro jornalista a denunciar o caso das escutas ilegais, foi hoje encontrado morto em casa.

Sean Hoare, o primeiro jornalista a denunciar o caso das escutas ilegais, foi hoje encontrado morto em casa.

O primeiro jornalista a denunciar o caso das escutas ilegais feitas pelo "News of the World", o repórter de entretenimento Sean Hoare, foi encontrado morto, noticia o jornal inglês "The Guardian".

Hoare explicou que o ex-director Andy Coulson conhecia os procedimentos de alguns jornalistas, que utilizavam escutas ilegais para conseguir notícias exclusivas sobre celebridades. Sean Hoare, que trabalhou no "Sun" e no "News of the World" com Coulson, foi encontrado morto na sua casa de Watford.

Ontem, horas depois de Rebekah Brooks, ex-directora do ‘News of The World' ter sido detida, o chefe da Scotland Yard, Sir Paul Stephenson, anunciou a demissão do cargo.

Em conferência de imprensa, o chefe da polícia britânica afirmou que o seu cargo "estava em perigo" motivado por "muitas acusações e especulações que estão na ordem do dia sobre a gestão da polícia".

Stephenson referia-se à estreita colaboração que manteve com Neil Wallis, ex-director-executivo do ‘News of the World', o qual também está detido.

O tablóide britânico, o mais vendido do país, foi fechado no dia 10 de Julho pelo dono, o magnata Rupert Murdoch, devido ao envolvimento do jornal no escândalo de escutas telefónicas ilegais.

Publicado pela primeira vez há 168 anos, o jornal, cuja tiragem chegava a 2,8 milhões de exemplares foi acusado de interceptar ligações pela primeira vez em 2006.

Reportar Erro

Caso tenha detectado algum tipo erro por favor descreva-o.