Planeta Terra Versão 2.0

Não há Esquerda ou Direita - há apenas liberdade ou tirania. Tudo o resto é uma ilusão, uma ofuscação para mantê-lo confuso e em silêncio à medida que o mundo arde à sua volta.

Philip Brennan

Pub

Doações

Saldo Acumulado: 0 EUR

Só é possível continuar a fazer este trabalho graças à sua generosidade.

Se considera que a informação aqui disponibilizada tem relevância para si e pretende fazer uma doação, por favor faça uma que esteja dentro das suas possibilidades financeiras.

Saiba como

Últimos Artigos

Globo
Portugal
Dinheiro
Ciência e Tecnologia
Conflitos Mundiais
Big Brother
Tirania
Fenómenos
Pub

Detidos em manifestação anti-Wall Street em Nova Iorque foram libertados

ArtigoComentários (0)
A polícia assegurou, contudo, que só deteve elementos que estavam a provocar um clima desordeiro

Foto: Jessica Rinaldi

A maior parte das 700 pessoas detidas na ponte de Brooklyn, em Nova Iorque, já foram libertadas. Sob custódia da polícia mantêm-se “menos de 20 pessoas”, que estão ainda por identificar, avança a BBC, citando fonte da polícia local.

As pessoas detidas pertencem ao movimento de protesto “Occupy Wall Street”, que tem como alvo a “ganância corporativa”. Os que já se encontram em liberdade, informou a mesma fonte, foram indiciados por desordem e receberam intimações judiciais. Os restantes serão presentes ao tribunal criminal de Manhattan amanhã, segunda-feira.

As 700 pessoas faziam parte de um grupo maior que estava a atravessar a ponte a partir de Manhattan, depois de terem estado acampados à porta da bolsa de Wall Street durante duas semanas, como forma de protesto contra a crise económica e financeira e a especulação dos mercados.

A polícia assegurou, contudo, que só deteve elementos que estavam a provocar um clima desordeiro. Os manifestantes desfilaram desde o Zucotti Park à ponte de Brooklyn e a polícia deteve centenas de pessoas quando obstruíram o trânsito num dos canais de acesso à ponte.

“Estávamos apenas aqui parados, dizendo o que achamos, a tentar caminhar pela ponte e os polícias apareceram de uma forma tumultuosa, empenhando os seus bastões sem motivo nenhum”, contou uma testemunha no local, citada pela BBC. “Começaram a escolher pessoas na linha da frente. Qualquer um nessa posição, preto, castanho, era atirado imediatamente para o chão. Quem tivesse a cara coberta com uma fita ou mesmo quem mostrasse sinais de paz era arrastado”, acrescentou.

Além de classificarem os banqueiros como “nazis”, e de defenderem que as pessoas estão antes do dinheiro, os manifestantes estão também contra a polícia que dizem protege os bilionários e Wall Street.

A detenção ocorre numa altura em que várias pessoas continuam acampadas em Wall Street e quando os protestos já se estendem a outras zonas do país. Um grupo de activistas concentrou-se em Washington, a capital federal dos Estados Unidos, adiantou a AFP e há também pessoas em Los Angeles.

Na sexta-feira a polícia já tinha detido 20 pessoas durante uma manifestação em Massachusetts, onde participaram 3000 pessoas, que decidiram ocupar alguns escritórios em Boston pertencentes ao Bank of America. Em São Francisco os protestos decorreram frente às instalações do Chase Bank, mas só houve seis detenções.

Nesse mesmo dia cerca de duas mil pessoas protestaram em Nova Iorque contra os efeitos da crise económica, desfilando desde a zona de Wall Street até ao quartel-general da polícia da cidade.

O vídeo abaixo mostra os momentos de algumas das detenções na ponte de Brooklyn.

Reportar Erro

Caso tenha detectado algum tipo erro por favor descreva-o.