Planeta Terra Versão 2.0

Primeiro vieram buscar os judeus e eu não protestei porque não era judeu.
Depois vieram buscar os comunistas e eu não protestei porque não era comunista.
Depois vieram buscar os sindicalistas e eu protestei porque não era sindicalista.
Depois vieram buscar-me e não restava mais ninguém para protestar por mim.

Martin Niemöller (1892 ~ 1984)

Pub

Doações

Saldo Acumulado: 0 EUR

Só é possível continuar a fazer este trabalho graças à sua generosidade.

Se considera que a informação aqui disponibilizada tem relevância para si e pretende fazer uma doação, por favor faça uma que esteja dentro das suas possibilidades financeiras.

Saiba como

Últimos Artigos

Globo
Portugal
Dinheiro
Ciência e Tecnologia
Conflitos Mundiais
Big Brother
Tirania
Fenómenos
Pub

Operação inédita tenta travar fuga de petróleo nos EUA

ArtigoComentários (0)

Peritos da BP dizem que, se falhar, a utilização desta espécie de funil invertido pode multiplicar por 12 a saída de crude

É uma operação arriscada e nunca foi tentada a 1500 metros de profundidade. A companhia petrolífera BP iniciou ontem a colocação de uma espécie de funil invertido de 98 toneladas de peso sobre a fuga de petróleo, no Golfo do México, na tentativa de evitar o derrame diário de 800 mil litros de "ouro negro". A mancha de poluição provocada pela explosão da plataforma Deepwater Horizon, a 22 de Abril, chegou à ilha Freemason, na Luisiana.

O silo branco foi construído num tempo recorde e levado de navio até ao local do acidente. Quando estiver totalmente instalado - com o recurso a submarinos controlados remotamente -, a BP espera conseguir aspirar e bombear o petróleo para um navio petroleiro. "Se tudo correr como previsto, devemos começar o processo na segunda-feira", disse o líder das operações da BP, Doug Suttles.

Este mesmo responsável sublinhou a "complexidade" dos trabalhos, inéditos a esta profundidade, falando da possibilidade de surgirem "obstáculos". De acordo com a AFP, que cita peritos da companhia, o pior dos cenários poderá implicar o agravamento da fuga, multiplicando por 12 a libertação de petróleo no mar. Isto porque não se sabe como se aguentará a estrutura com a pressão a 1500 metros de profundidade.

Por seu lado, o presidente executivo da BP, Tony Hayward, comparou as operações de limpeza a uma guerra. "No final, nós vamos ganhar, porque uma das nossas intervenções vai eventualmente travar a fuga", afirmou à BBC. "É uma operação militar e estamos a pensar nela como uma batalha em três frentes: debaixo de água, à superfície e na costa", acrescentou. Pelo menos uma das três fugas (a mais pequena) já foi bloqueada.

À superfície, a diminuição da intensidade do vento faz com que nas próximas 48 horas a maré negra (200 km de comprimento e 110 km de largura) se mantenha na mesma área. O bom tempo deve ainda facilitar as operações de limpeza, em que estão envolvidos 250 navios. Alguns estão a "queimar" as bolsas de petróleo mais perto da antiga plataforma - cuja explosão terá causado a morte a 11 trabalhadores.

Há ainda milhares de quilómetros de barreiras colocadas à superfície, de forma a tentar evitar que o petróleo chegue à costa. No terreno, há quatro mil voluntários aos quais a BP estará a pagar dez dólares por hora para proteger as praias. No fim-de-semana, os primeiros resíduos de petróleo tinham chegado à costa, na Luisiana. Mas ontem, a Guarda Costeira relatou a existência de crude numa ilha do estado. As autoridades estão a recolocar as barreiras protectoras junto à ilha Freemason.

A BP acredita que, quando a mancha estiver contida e o Golfo do México limpo, terá gasto entre 1,5 e 11 mil milhões de euros. Tal valor inclui compensações económicas. Em relação às causas do acidente, a petrolífera atira as culpas para a sociedade Transocean, proprietária da plataforma explorada pela BP. "Nesta altura, não sabemos a causa do fogo e da explosão", afirmou o seu presidente, Steven Newman, indicando que tudo são "especulações" até se conhecerem os resultado do inquérito.

Fonte: Diário de Notícias

Reportar Erro

Caso tenha detectado algum tipo erro por favor descreva-o.