Planeta Terra Versão 2.0

Que diferença faz aos mortos, aos orfãos e aos sem-abrigo, se a destruição louca é feita sob o nome de totalitarismo, ou sob o santo nome da liberdade ou democracia?

Mahatma Gandhi (1869 ~ 1948)

Pub

Doações

Saldo Acumulado: 0 EUR

Só é possível continuar a fazer este trabalho graças à sua generosidade.

Se considera que a informação aqui disponibilizada tem relevância para si e pretende fazer uma doação, por favor faça uma que esteja dentro das suas possibilidades financeiras.

Saiba como

Últimos Artigos

Globo
Portugal
Dinheiro
Ciência e Tecnologia
Conflitos Mundiais
Big Brother
Tirania
Fenómenos
Pub

Apoiantes de Assad atacam embaixadas dos EUA e França em Damasco

ArtigoComentários (0)
A visita do embaixador norte-americano Robert Ford e do embaixador francês Eric Chevallier foi «uma prova clara da intervenção americana e francesa nos assuntos internos da Síria», diz a agência noticiosa da Síria SANA, citando o ministro das relações externas.

Apoiantes do Presidente sírio Bashar al-Assad atacaram nesta segunda-feira as instalações da embaixada dos Estados Unidos em Damasco. Em frente à embaixada da França também houve protestos, os guardas dispararam para o ar para dispersar os manifestantes.

As manifestações pró-regime ocorreram dias depois de os embaixadores norte-americano e francês terem visitado a cidade síria de Hama, onde tem havido fortes protestos contra o Governo de Bashar al-Assad.

Um responsável do Ministério dos Negócios Estrangeiros francês disse a Reuters que “estes ataques são recorrentes” e que “as forças de segurança sírias não têm feito nada” para os impedir. A França tem apelado a uma tomada de posição por parte do Conselho de Segurança da ONU em relação à violência na Síria.

Nos EUA, o Departamento de Estado condenou o ataque em comunicado, bem como “a recusa do Governo sírio em proteger a embaixada”.

Apoiantes de Bashar al-Assad chegaram a entrar na embaixada dos EUA mas foram afastados pouco depois. Houve danos nas instalações ninguém ficou ferido.

Na embaixada francesa, os guardas das instalações diplomáticas dispararam tiros para o ar para dispersar os manifestantes.

Os protestos junto às representações diplomáticas ocorrem também quando está a realizar-se uma conferência pelo diálogo organizada pelo regime sírio, que é contestada pela oposição. O encontro visa debater reformas políticas que abrandem a contestação ao regime que já se prolonga há quatro meses.

A repressão das forças de Bashar al-Assad sobre os manifestantes já causou a morte de 1400 civis e 350 membros das forças de segurança desde Março, segundo organizações de direitos humanos.

Rótulos deste artigo

Reportar Erro

Caso tenha detectado algum tipo erro por favor descreva-o.