Planeta Terra Versão 2.0

Não é nenhuma medida de saúde estar bem ajustado a uma sociedade profundamente doente.

Jiddu Krishnamurti (1885 ~ 1986)

Pub

Doações

Saldo Acumulado: 0 EUR

Só é possível continuar a fazer este trabalho graças à sua generosidade.

Se considera que a informação aqui disponibilizada tem relevância para si e pretende fazer uma doação, por favor faça uma que esteja dentro das suas possibilidades financeiras.

Saiba como

Últimos Artigos

Globo
Portugal
Dinheiro
Ciência e Tecnologia
Conflitos Mundiais
Big Brother
Tirania
Fenómenos
Pub

Metade dos britânicos quer sair da UE

ArtigoComentários (0)

Sondagem do Guardian/ICM mostra que quase dois terços dos cidadãos do Reino Unido pretendem realizar um referendo à participação do país na União Europeia.

Dois terços dos cidadãos querem votar a participação do Reino Unido na União Europeia. Se esse referendo se realizasse hoje, eram mais os britânicos que pretendiam sair da União Europeia do que aqueles que aí queriam continuar.

De acordo com uma sondagem do Guardian/ICM, cerca de 70% dos eleitores consideram necessária a votação para a presença britânica na União Europeia.

Caso votassem nesse referendo, 49% dos eleitores mostrariam o desejo de abandonar aquele grupo de país, contra 40% que continuam interessados em fazer parte da UE.

Entre os 49% contra a presença do Reino Unido na UE, 34% descrevem a sua posição como “definitiva”, enquanto apenas 15% indicam que “provavelmente” votariam na saída do país do espaço comunitário.

Em 2001, os que se mostram contra a União Europeia representavam apenas 19% dos eleitores consultados, em oposição aos 68% pró-comunitários. Tal mostra que a sondagem de hoje representa um agravamento da posição eurocéptica, bastante atribuída aos britânicos.

A presença do Reino Unido na União Europeia parece estar a enfrentar uma altura conturbada, já que foi hoje noticiado por vários órgãos de comunicação uma discussão acesa na cimeira de ontem, entre o primeiro-ministro britânico, David Cameron, e o presidente da França, Nicolas Sarkozy.

Sarkozy ter-se-á mostrado “farto” das críticas da ilha, que pretende uma resolução rápida dos problemas sentidos pelos países do euro. “Dizem que odeiam o euro e agora querem interferir nas nossas reuniões”, disse o presidente francês.

Reportar Erro

Caso tenha detectado algum tipo erro por favor descreva-o.