Planeta Terra Versão 2.0

A felicidade é quando o que pensas, o que dizes e o que fazes estão em harmonia.

Mahatma Gandhi (1869 ~ 1948)

Pub

Doações

Saldo Acumulado: 0 EUR

Só é possível continuar a fazer este trabalho graças à sua generosidade.

Se considera que a informação aqui disponibilizada tem relevância para si e pretende fazer uma doação, por favor faça uma que esteja dentro das suas possibilidades financeiras.

Saiba como

Últimos Artigos

Globo
Portugal
Dinheiro
Ciência e Tecnologia
Conflitos Mundiais
Big Brother
Tirania
Fenómenos
Pub

Israel ataca Faixa de Gaza e faz 17 feridos

ArtigoComentários (0)
Sete mulheres e duas crianças, estão entre os 17 feridos, na maioria ligeiros, afirmou o porta-voz dos serviços de urgência na Faixa de Gaza, Adham Abu Selmiya.

Foto EPA/ Lusa - Mohammed Saber

A aviação israelita efectuou, na noite desta segunda-feira, cinco ataques à Faixa de Gaza contra instalações do movimento islamita Hamas que provocaram 17 feridos, duas delas são crianças.

A informação é avançada pela AFP, que citando fontes palestianas, refere que os raides aéreos visaram um centro da polícia do Hamas, no Norte do território, campos de treino do seu braço paramilitar, as Brigadas Ezzedine al-Qassam e uma fábrica de materiais de construção na periferia da cidade de Gaza.

Sete mulheres e duas crianças, estão entre os 17 feridos, na maioria ligeiros, afirmou o porta-voz dos serviços de urgência na Faixa de Gaza, Adham Abu Selmiya.

O exército israelita recusou fazer qualquer comentário sobre a operação.

A aviação de Israel bombardeou ainda ao menos três posições na zona da cidade de Khan Yunis, no sul da Faixa de Gaza, sem causar vítimas.

Na primeira acção contra Khan Yunis o alvo era um grupo de activistas palestinianos, que conseguiu escapar. Um outro ataque atingiu o governo local e o terceiro visou um terreno sem construções.

A acção ocorre após as Brigadas Ezedin Al Qasam se declararem dispostos a respeitar as tréguas, desde que Israel "cesse a sua agressão" contra o território palestiniano.

"Se o inimigo contiver a escalada e a agressão contra o nosso povo, poderemos agir de acordo com o consenso nacional palestiniano", expressou o Hamas sobre o cessar fogo anunciado pelo movimento islâmico em Janeiro de 2009, após uma grande operação militar de Israel. "Mas o inimigo pagará um alto preço se prosseguir com a agressão e crimes contra o nosso povo na Faixa de Gaza".

Na madrugada desta terça-feira, um disparo procedente de Gaza atingiu o sul de Israel, poucas horas após um foguete explodir na cidade israelita de Ashkelon, na zona da fronteira. Os dois ataques não deixaram feridos.

No sábado, as Brigadas Ezedin Al Qasam fizeram mais de 50 disparos de morteiro contra o território israelita, após a morte de dois de seus militantes nos dias precedentes.

Nesta segunda-feira, o vice-ministro israelita das Relações Exteriores, Dany Ayalon, ameaçou de morte os líderes do Hamas caso estes prossigam com os ataques a Israel.

Fonte: esquerda

Reportar Erro

Caso tenha detectado algum tipo erro por favor descreva-o.