Planeta Terra Versão 2.0

Numa época em que a mentira é universal, dizer a verdade é um acto revolucionário.

George Orwell (1903 ~ 1950)

Pub

Doações

Saldo Acumulado: 0 EUR

Só é possível continuar a fazer este trabalho graças à sua generosidade.

Se considera que a informação aqui disponibilizada tem relevância para si e pretende fazer uma doação, por favor faça uma que esteja dentro das suas possibilidades financeiras.

Saiba como

Últimos Artigos

Globo
Portugal
Dinheiro
Ciência e Tecnologia
Conflitos Mundiais
Big Brother
Tirania
Fenómenos
Pub

Aviação israelita volta a bombardear a Faixa de Gaza

ArtigoComentários (0)
Os estragos em Gaza depois dos ataques aéreos de Israel

Foto: Reuters/ Ibraheem Abu Mustafa

Em represália pelo recente lançamento de dois mísseis de tipo Grad contra o Sul de Israel, a aviação israelita despertou esta manhã a Faixa de Gaza com vários ataques que fizeram quatro feridos e provocaram vários estragos, segundo a AFP.

De acordo com os serviços de segurança palestinianos, durante toda a manhã os aparelhos israelitas atacaram dois campos de treino do grupo radical Jihad Islâmica: um na localidade de Khan Younès e outro perto de Nousseirat, no centro do território.

Atingir “um certo número de ninhos terroristas” em resposta aos mísseis e granadas lançadas sob a região Sul de Israel seria o objectivo do Exército israelita.

Segundo a agência francesa, no início da tarde as forças aéreas de Israel atingiram um centro de treino das Brigadas Ezzedine al-Qassam, o braço armado do movimento islâmico Hamas (no poder em Gaza).

O porta-voz dos serviços de saúde em Gaza, Adham Abou Selmya, declarou à AFP que quatro pessoas de uma mesma família, incluindo uma criança de 18 meses, foram feridas enquanto circulavam de carro numa zona próxima à dos locais atingidos.

Estes ataques acontecem na sequência da queda de dois mísseis em Israel, e depois de o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu ter avisado os palestianos para “não testarem a paciência israelita”. O lançamento de um dos mísseis contra Beersheva, capital do deserto de Neguév, a 40 quilómetros de Gaza, exaltou particularmente os ânimos de Telavive, já que o lançamento deste tipo de mísseis nesta localidade não acontecia desde a devastadora ofensiva israelita verificada entre Dezembro de 2008 e Janeiro de 2009.

O Hamas, que deseja manter-se no poder em Gaza e relembrando a morte dos 1400 palestinianos que resultou da ofensiva dos últimos anos, já fez saber que não quer continuar a medir forças com Israel, mas os ataques continuam. E vêm dos dois campos de batalha.

Fonte: Público

Reportar Erro

Caso tenha detectado algum tipo erro por favor descreva-o.