Planeta Terra Versão 2.0

O homem não pode descobrir novos oceanos a menos que tenha a coragem de perder de vista a costa.

André Gide (1869 ~ 1951)

Pub

Dossiers

  • Afundamento da Corveta

    Tudo aponta para uma operação de bandeira falsa semelhante à operação do CIA Washtub.

  • Derrube de Gaddafi

    Gaddafi ameaçava o status-quo do sistema fiduciário dos banqueiros-globalistas.

  • Derrube de Gbagbo

    Alassane Ouattara, ex-CEO do FMI e do BCEAO, serve melhor os interesses dos imperialistas.

  • Sionistas Intocáveis

    Os Sionistas podem fazer o que lhes apetecer que não lhes acontece nada - a impunidade total.

Últimos Artigos

Globo
Portugal
Dinheiro
Ciência e Tecnologia
Conflitos Mundiais
Big Brother
Tirania
Fenómenos

Rótulos Mais Utilizados

Pub

Derrube de Gbagbo

Alassane Ouattara, ex-CEO do FMI e do BCEAO, serve melhor os interesses dos imperialistas.

Os "jornalistas" não se cansam de repetir que a "comunidade internacional" reconhece Ouattara como vencedor das "eleições", no entanto - contrariamente às várias organizações nacionais e internacionais que supervisionaram e provaram que o processo eleitorial foi fraudulento e que o vencedor foi Laurent Gbagbo - a Organização das Nações Unidas (ONU) não apresentou prova absolutamente nenhuma de que foi Alassane Ouattara o vencedor. As restantes organizações como a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, França, Reino Unido, União Europeia também não provaram nada. Limitaram-se a repetir o que a ONU disse.

A única coisa que a ONU tem, não para provar, mas para fundamentar o facto de ter proclamado - sem autoridade nenhuma - Ouattara como vencedor, foram os resultados provisórios - não consolidados - avançados pela Comissão Eleitoral Indepedente (CEI).

Como foram detectadas inúmeras irregularidades no processo eleitoral e como não houve consenso na CEI para invalidar os votos das regiões houve fraude, o assunto foi encaminhado para o respectivo órgão soberano - o Conselho Constitucional (CC). É preciso ter em conta que o papel da CEI, resumidamente, é:

  1. Fazer o recenseamento da população;
  2. Distribuir as cartões de eleitor;
  3. Organizar as eleições;
  4. Contar os votos de cada candidato;
  5. Entregar os resultados provisórios ao CC no prazo de 72 horas.

O CC tem que:

  1. Verificar todos os resultados e documentos fornecidos pela CEI e assegurar que os resultados estão correctos;
  2. Resolver todos os litígios resultantes das eleições e permitir aos candidatos ou à CEI a contestação dos resultados provisórios;
  3. Anunciar o vencedor, ou seja, o Presidente.

O CC apesar de ter invalidado os votos das regiões da Costa do Marfim onde houve fraude não precisava de o ter feito por essas razões. Isto porque para fazer a contagem dos votos e entregar os resultados provisórios há um prazo de 72 horas. Esse prazo não foi cumprido.

Perante isto, não há dúvida nenhuma de que Laurent Gbagbo é o legítimo vencedor das presidenciais. Os detalhes estão disponíveis aqui no Planeta Terra v2.0.

Posto isto, fica a questão: Quem é que se responsabiliza pela crise humanitária na Costa do Marfim?

Página 1 de 3