Planeta Terra Versão 2.0

A Cobardia coloca a questão — É seguro?
A Conveniência coloca a questão — É política?
A Vaidade coloca a questão — É popular?
Mas a Consciência coloca a questão — É justo? E chega uma altura em que é preciso tomar uma posição que não é nem segura, nem política, nem popular, mas é preciso tomá-la porque é justa.

Martin Luther King (1929 ~ 1968)

Pub

Doações

Saldo Acumulado: 0 EUR

Só é possível continuar a fazer este trabalho graças à sua generosidade.

Se considera que a informação aqui disponibilizada tem relevância para si e pretende fazer uma doação, por favor faça uma que esteja dentro das suas possibilidades financeiras.

Saiba como

Últimos Artigos

Globo
Portugal
Dinheiro
Ciência e Tecnologia
Conflitos Mundiais
Big Brother
Tirania
Fenómenos
Pub

Hillary Clinton em Trípoli para visita surpresa

ArtigoComentários (0)
A visita está rodeada de fortes medidas de segurança

Foto: Reuters/ Kevin Lamarque

Hillary Clinton chegou hoje, de surpresa a Trípoli, naquela que é a primeira deslocação de um responsável norte-americano ao país desde a queda do regime de Muammar Khadafi. Na agenda da visita, o apoio ao governo de transição e, sobretudo, um estreitamento com o país, um dos principais produtores petrolíferos da região.

Durante a breve estadia no país, rodeada por fortes medidas de segurança, a secretária de Estado norte-americana vai encontrar-se com Mustapha Abdeljalil, o presidente do Conselho Nacional de Transição (CNT, a entidade reconhecida como Governo legítimo da Líbia), e o primeiro-ministro em funções, Mahmoud Jibril.

A visita de Clinton – que acontece depois de deslocações idênticas do Presidente francês, Nicolas Sarkozy, e do primeiro-ministro britânico, David Cameron – visa iniciar uma nova etapa no relacionamento com a população líbia, que se revoltou contra o coronel que os governou durante quatro décadas. “Não queremos só falar com os responsáveis líbios sobre os seus planos de transição, a concretização do seu compromisso com a justiça, a transparência e o primado da lei. Queremos igualmente dizer ao povo líbio que pretendemos uma parceria normal no futuro, baseada em relações cíveis”, disse à AFP um responsável da diplomacia dos EUA, a bordo do avião que levou Clinton a Trípoli.

Na mala, a chefe da diplomacia norte-americana trouxe várias promessas de ajuda, incluindo o envio de material médico para o tratamento dos milhares de feridos na guerra e o compromisso de tratar nos hospitais dos EUA os casos mais graves. Washington planeia também aumentar as bolsas de estudo atribuídas a jovens líbios que queiram estudar nos EUA, fomentar o ensino da língua inglesa no país e apoiar o restauro de locais arqueológicos.

Durante a viagem, Clinton pretende discutir também com o CNT “formas para integrar plenamente a Líbia na economia mundial do século XXI e para que as suas riquezas petrolíferas sejam utilizadas em benefício de todos os cidadãos”. Em cima da mesa estará ainda um reforço da contribuição ao CNT, a começar pela mobilização de 30 a 40 milhões de dólares para que as novas autoridades tenham meios para encontrar e destruir milhares de mísseis terra-ar que desapareceram durante o conflito e que os EUA temem possam vir a cair na mão de organizações terroristas.

Clinton é a primeira responsável americana a visitar Trípoli desde Setembro 2008, quando a sua antecessora, Condoleezza Rice, se encontrou com Khadafi, que então tentava regressar à esfera internacional, depois de anos de isolamento.

Reportar Erro

Caso tenha detectado algum tipo erro por favor descreva-o.