Planeta Terra Versão 2.0

Não é nenhuma medida de saúde estar bem ajustado a uma sociedade profundamente doente.

Jiddu Krishnamurti (1885 ~ 1986)

Pub

Doações

Saldo Acumulado: 0 EUR

Só é possível continuar a fazer este trabalho graças à sua generosidade.

Se considera que a informação aqui disponibilizada tem relevância para si e pretende fazer uma doação, por favor faça uma que esteja dentro das suas possibilidades financeiras.

Saiba como

Últimos Artigos

Globo
Portugal
Dinheiro
Ciência e Tecnologia
Conflitos Mundiais
Big Brother
Tirania
Fenómenos
Pub

Grande ofensiva do novo poder líbio contra as forças fiéis a Khadafi

ArtigoComentários (0)
"Deus é o maior", gritam soldados que participam na ofensiva contra Bani Walid, antes de partir

Foto: Reuters/ Zohra Bensemra

As forças do novo poder líbio, o Conselho Nacional de Transição, estão a aumentar a pressão sobre os últimos territórios controlados pelos homens do ex-líder Muammar Khadafi. A NATO negou oficialmente estar a colaborar nas operações.

Em Bani Walid (170 km a sudeste de Trípoli, a capital do país), os efectivos da nova autoridade reconhecida internacionalmente combatiam rua a rua com homens ainda fiéis ao coronel que liderou a Líbia durante quatro décadas.

A estação de televisão Al-Jazira informava que franco-atiradores de Khadafi estavam ainda activos, impedindo a tomada da cidade.

Uma segunda frente onde se combate duramente é Sirte (360 km a leste da capital), de onde as tropas foram obrigadas a recuar depois de terem sofrido "grandes baixas", segundo a BBC online, às mãos dos rebeldes de Khadafi. Combate-se também em e Sabha (região centro).

À margem das operações no terreno, o presidente do Conselho Nacional de Transição, Mustafa Abdel Jalil, aterrou este sábado em Trípoli, a capital do país. Ali, explicou que a mudança do novo governo de transição de Bengasi para Trípoli só acontecerá "depois da libertação total do país". Ou seja quando houver estabilidade. Esta é, pois, uma deslocação “provisória”, precisou Jalil.

Pouco depois, o Fundo Monetário Internacional reconhecia a legitimidade do Conselho. "É com muito prazer que anuncio que o FMI reconhece o governo interino como o oficial da Líbia", disse a presidente da instituição, a francesa Christine Lagarde, durante uma conferência de imprensa do G8 em Marselha (França).

Lagarde anunciou que o organismo está preparado para disponibilizar um fundo de apoio à Líbia e que, assim que estiver garantida a segurança, uma missão do FMI visitará a Líbia.

Reportar Erro

Caso tenha detectado algum tipo erro por favor descreva-o.